Outras Modadilades, Novos Looks


São Muitas Dicas


De um web site corporativo a grandes portais de notícias com atualizações minuto a minuto. Os sites que conseguem ser criado com a ajuda de um CMS conseguem ser dos mais diferentes tipos. O CMS (Content Management System - em tradução livre: Sistema de Gerenciamento de Conteúdos) beneficia milhões de usuários comuns ao descomplicar a construção e a atualização de blogs. Isto sem ter necessidade de de um profundo entendimento (e investimento) em programação.


⇒ Leia assim como: Joomla x WordPress: qual é o CMS melhor por você? Porém, mesmo diante da facilidade que elas proporcionam, o HTML continua sendo a preferida dos programadores pela hora de desenvolver um site. De acordo com levantamento do blog de monitoramento de métricas tecnológicas W3Techs, 57% dos websites ainda são feitos “manualmente”, ou seja, com páginas HTML, dispensando o uso de CMS.


A rapidez com a qual os blogs ficam prontos e irão para o ar, próximo com a expectativa de personalizar o design das páginas como bem entender, ajuda a explicar a superior adesão ao HTML. Portanto, com isso surge a indecisão. Qual é a melhor maneira de formar um website: HTML ou CMS?


Antes de entrar em dados nessa pergunta, vale frisar que o programador, mesmo usando CMS pra desenvolver blogs profissionais e rebuscados, necessita possuir uma bacana informação da linguagem HTML. Caso contrário, vai se sobressair um profissional com limitações. Em algumas expressões, um agradável programador necessita ser apto de desenvolver web sites de qualidade recorrendo em tão alto grau ao CMS quanto ao HTML. Neste instante, sim, vamos esclarecer alguns pontos de cada técnica e, então, responder à pergunta que o título desse texto propõe.


Há uns quinze anos, só era possível criar web sites a começar por HTML, uma vez que plataformas CMS ainda eram muito limitadas. Aqui, não temos que achar Dreamweaver um CMS, uma vez que ele é somente uma ferramenta que edita HTML com uma interface gráfica. Usando o HTML, o programador só consegue elaborar blogs estáticos.


Na prática, trata-se de um site que não tem interação com banco de detalhes nem busca processamentos do lado do servidor (Sever Side). Simplificando, páginas HTML são arquivos interpretados diretamente pelo navegador do usuário. Isto significa, bem como, que para fazer alguma alteração no site, como a atualização de infos ou a criação de uma nova página, é necessário editar todas as páginas “na mão” mesmo. Sem este trabalhão, as páginas do blog ficam todas quebradas.


  1. Como Criar um Blog: Optar Qual Plataforma Usar e Hospedagem

  2. Em Milão, apê de 60 m2 com dois andares

  3. Qual o grau de conhecimento da audiência acerca dos assuntos

  4. Reine Roi

  5. Será que havia informação demasiado na tela? Ou muito pouca

  6. Seja conhecido por ser um líder



É dessa forma que em tão alto grau a fabricação quanto a atualização de um blog estático requerem um profissional gabaritado. Por outro lado, pelo evento de não depender recorrer a servidores com PHP ou com banco de dados instalados neles, o web site poderá ser hospedado em servidores mais em conta. Quanto à personalização das páginas, só o HTML consegue reproduzir exatamente tudo o que o projeto propõe.


Por mais que o CMS ofereça milhares de templates, há certa limitação que não atende a projetos mais rebuscados. Outra vantagem de desenvolver páginas HTML é o superior potencial de S.e.o. (otimização para sites de buscas). Explorando os codificadores HTML, é possível conduzir um web site novo ao topo dos resultados nos sites de busca de forma mais rápida. Nesse sentido, recomenda-se montar sites em HTML só pra projetos que não demandam atualizações constantes de conteúdos. Sites de restaurantes, tais como, que servem apenas para comunicar o cardápio, contato e endereço não apresentam indispensabilidade de um gerenciador de conteúdo.

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *